Pesquisar neste blogue

segunda-feira, maio 02, 2011

A um ser que devia ser


Bem quer ser algo mas não passa de um híbrido, chocho e ressentido. E esse ser indefinível que não é carne nem peixe, nem batata, sequer feijão, é coiso invertido, uma nódoa, um borrão. É, em suma, um douto cagão.

F. Castelo - colectânea de poesia kitschunga

Sem comentários:

Enviar um comentário